ScrumMaster: esse cara sou eu? Que cara sou eu?

Image courtesy of FreeDigitalPhotos.net
Image courtesy of FreeDigitalPhotos.net

Nós que trabalhamos arduamente para disseminar os Valores Ágeis ficamos felizes em saber que, cada dia mais, o mercado tem reconhecido as metodologias ágeis e o papel do ScrumMaster nas Organizações. Mas, espere… Será mesmo que o mercado conhece os Valores Ágeis e as atribuições de um verdadeiro ScrumMaster? Vejamos o que o Scrum Guide diz sobre isso…

O Scrum Master é responsável por garantir que o Scrum seja entendido e aplicado. O Scrum Master faz isso para garantir que o Time Scrum adere à teoria, práticas e regras do Scrum. O Scrum Master é um servo-líder para o Time Scrum

Tenho conversado com algumas pessoas sobre como funciona o dia a dia desse cara, o ScrumMaster, e tenho ouvido coisas que variam entre o cômico e o assustador. Existem SM’s que são pagos para serem verdadeiras (e caras) secretárias, não do time, mas da Organização; outros SM’s são responsáveis (baratos) pelo gerenciamento de projetos. Faz algum tempo que isso me incomoda, então, decidi dar uma olhada nas vagas (não, não estou procurando emprego) e tirar isso a limpo.

O resultado é bem interessante… Vamos a alguns exemplos:

Coordenador de Projetos – Scrum Master – Será responsável por, elaborar planos de trabalho, cronogramas, acompanhar e monitorar andamento do projeto, realizar feedbacks com os pares,zelar pelos interesses do projeto e da empresa, liderar equipe de desenvolvimento, gerenciar riscos e aquisições, promover melhoria contínua e garantir a qualidade das entregas, zelar pela condução eficiente do projeto, estar em sintonia aos interesses da empresa, seguir e respeitar as políticas e processos da empresa, ter clareza e discernimento técnico para apoiar e conduzir a equipe em momentos de tomada de decisão. Desejável MBA/Pós: focado na área de gestão de projetos.

Desenvolvedor Web / Scrum Master – Implementar a visão do time de Design e UX integrando com os serviços de back end, com foco no usuário final. Implementar a visão do time de design e UX integrando com os serviços de back end, com foco no usuário final. Participar de times multidisciplinares, com desenvolvedores, analistas de qualidade, designers, UX e gestores de projetos, utilizando a metodologia ágil, utilização de padrões emergentes de desenvolvimento para browsers, buscando desenvolver códigos de fácil manutenção e alta performance que utilizem o máximo da capacidade dos browsers modernos. Orientar os demais profissionais e buscar a adoção de padrões entre as equipes, divulgando internamente boas práticas. Experiência como expert em tecnologias web como JavaScript, HTML5, CSS3, Web Standards e bibliotecas modernas.

Engenheiro de Software Sênior – Scrum Master E-Commerce – Atuar com desenvolvimento de softwares e aplicativos, realizando a análise de requisitos, definir arquitetura de produtos, testes unitários e funcionais. Elaborar documentação e relatórios técnicos. Contatos frequente com cliente no exterior. Necessário experiência no acompanhamento das atividades do time de desenvolvimento garantindo todas as etapas estabelecidas, no entendimento dos links e dependências entre os projetos e outros projetos/iniciativas de negócios em andamento, com metodologias ágeis como Scrum e princípios de ciclo de vida de desenvolvimento de software, no apoio envolvendo atividades de gerenciamento de projetos.

Lendo estas pequenas atrocidades e juntando com a experiência de alguns amigos próximos, chego à triste conclusão de que o mundo corporativo usa o Scrum e as Metodologias Ágeis como artifício para serem classificadas como cool places to work e mais nada. Tenho certeza de que todos os ScrumMasters que leem este artigo estudam para serem líderes e desenvolver pessoas e times; não para ser um desenvolvedor melhor ou gerente de projetos ou secretárias.

Agilidade tem a ver com valores e as empresas estão, descaradamente, passando por cima dos Valores Ágeis, escondidas atrás de uma máscara bacaninha e moderna. Na verdade, as Organizações não mudaram um milímetro da sua Cultura; apenas modernizou os nomes do que vem fazendo faz décadas!

E quem perde com isso? As próprias Organizações! Pra mim, a parte mais interessante do trabalho do ScrumMaster é o desenvolvimento de pessoas e times! O coaching é um processo apaixonante e seu resultado é gratificante. E como o ScrumMaster pode desenvolver esse tipo de trabalho se seu foco está em gerenciamento ou desenvolvimento (de software)?

Isso gera uma onda de frustração, no Scrum Master e no Time de Desenvolvimento. Pois o time também tem suas expectativas quando chega a notícia “vocês terão um ScrumMaster”. O Time espera alguém que olhe para seus membros como pessoas e esse cara chega preocupado com relatórios e burocracias.

Qual a solução para essa situação? Não sei! Mas gostaria de aprender junto com meus colegas agilistas. Precisamos fazer algo! A galera da Happy Melly Brazil bem que poderia organizar um Learning Shot sobre este tema…

Enquanto isso não acontece, convido o leitor a participar de uma enquete e nos ajude a responder:

Anúncios

Marcelo L. Barros

Olá! Sou um cara criativo, curioso e detalhista, que, cada dia, mais se vê interessado em desvendar os mistérios desse "bicho gente"! Comecei minha carreira profissional em 1996, sou formado em Processamento de Dados pela FATEC de Santos. Naquela época tudo o que eu queria ter na minha frente era um computador e uma desafiadora regra de negócio, que se transformaria no melhor programa possível. Mas as coisas mudam! Concluí que quem faz software com qualidade são as pessoas e não as máquinas. Hoje, minha MISSÃO é ajudar pessoas e times a alcançarem seus objetivos, pois acredito que o sucesso pessoal e profissional está ligado a três pilares: FELICIDADE, MOTIVAÇÃO e SENTIDO. Como faço isso? 💡 MOTIVANDO pessoas, fazendo-as enxergar o 💡 SENTIDO das suas ações, que traz 💡 FELICIDADE por fazerem a diferença em suas vidas, suas empresas. Sou formado em Coaching pelo ICC e escrevo artigos sobre Métodos Ágeis, Comportamento, Inovação e Coaching. Vejo no lúdico a forma mais profunda de aprendizado. Procuro sempre conduzir reuniões de forma criativa, que tragam algum tipo de aprendizado aos participantes, seja por meio de dinâmicas de grupo ou jogos em equipe. Neste quesito, desenvolvi um jogo, a "Feijoada Ágil", para ensinar conceitos sobre trabalho em equipe. Se você, como eu, também acredita que eu posso te ajudar, deixe-me saber! Vamos tomar um café e, quem sabe, juntos podemos MUDAR O MUNDO!

6 comentários

  1. Marcelo, parabéns pelo artigo, o assunto é interessante. Senti falta de soluções criativas, foram expostas várias limitações mas que ações você toma a respeito disso? Uma solução definitiva talvez nem exista, vai que não acontece um learning shot sobre isso também. Eu estou me empenhando em facilitar reuniões cada vez melhor, com isso espero disseminar os ganhos. Abraço. Bom trabalho.

    • Verdade! Expus as limitações e não propus soluções. Bem observado. Acho que não era mesmo a minha ideia quando escrevi. Bem… O que eu faço é escrever. Escrever sobre os valores ágeis e compartilhar o máximo de conteudo sobre esse mindset. Essa é minha modesta contribuição. Gostei da sugestão do Learning Shot! Alguém da Happy Melly por aí? Obrigado pelo comentário!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s