Quem é você? Os 3 papéis do Scrum e sua importância

Image courtesy of FreeDigitalPhotos.net
Image courtesy of FreeDigitalPhotos.net
Muito já se falou sobre a equipe Scrum e sua composição, eu sei. Como no nosso Caderno Ágil estamos falando sobre conceitos básicos de Metodologias Ágeis, cabe falar um pouco sobre papéis e responsabilidades dentro da equipe Scrum. Também falarei um pouco sobre os problemas que podem acontecer nesta estrutura.

Basicamente o Time Scrum é composto por apenas 3 papéis. Só isso! O Product Owner, Scrum Master e Time de Desenvolvimento são suficientes para entregar software de alto valor agregado, de acordo com esta metodologia. Vamos ver, em linhas gerias, como isso funciona.

Product Owner, o dono da bola

O projeto começa com o Product Owner: ele é o cara que conhece o negócio e a necessidade do usuário final. De posse deste conhecimento, ele pode priorizar as necessidades do usuário e decidir o que mais agrega valor ao negócio, para que seja entregue primeiro. Ou seja, esse é o cara que manda no produto. O Product Owner pode, inclusive, decidir que o que foi desenvolvido é suficiente para atender às necessidades e terminar o projeto. Aliás, este é um dos diferenciais do Scrum. Como você começa o projeto pelo mais importante para o negócio e não pelos cadastros-básicos-dos-projetos-tradicionais, não é raro que um projeto seja finalizado com menos itens do que foi planejado. Afinal, existem estudos que apontam que boa parte das funcionalidades dos projetos são raramente ou nunca utilizadas.

O Product Owner separa uma lista de desejos, chamada de Product Backlog, que contém tudo o que ele inicialmente acha que precisa para atender ao negócio e ao usuário final. Esta lista deve ser priorizada com base no valor que cada item pode agregar ao negócio.

Feita a priorização, cabe ao PO escrever as user stories, que detalham um pouco mais cada item da lista de desejos. Ok, vocês venceram! Prometo que o próximo artigo trará dicas de como escrever boas user stories. Existem ótimas técnicas pra fazer isso.

Também cabe a ele tomar conta do orçamento do projeto, assegurado que o investimento dê retorno esperado, o mais breve possível.

O Product Owner apoia o Time de Desenvolvimento  tirando dúvidas sobre regras de negócio. Portanto, deve ser presente em todo o ciclo. Isso é muito importante para o sucesso do projeto. Lembre-se: se o Time de Desenvolvimento tiver alguém disponível e acessível para tirar suas dúvidas, ele perguntará; se não tiver, tomará suas próprias decisões que, não necessariamente serão as mais adequadas para o negócio.

Scrum Master, o coach proativo

O segundo papel a entrar na jogada é o do Scrum Master. Ele atua como líder da equipe e coach, tanto do Product Owner quanto do Time de Desenvolvimento. Quando a organização passa a adotar o Scrum, é comum que ou o Líder Técnico ou o Gerente de Projetos assume esse papel.

Isso não é bom por causa de antigos vícios: o ex líder técnico tenderá a dar soluções técnicas para o time de desenvolvimento, da mesma forma que o ex gerente terá forte inclinação a se comprometer com prazos que deverão ser cumpridos a qualquer custo e a direcionar os membros do time, dizendo quem faz o que. Um bom Scrum Master deve ser isento, para auxiliar o time a praticar a auto organização.

O Scrum Master conhece  o processo, por isso tem condições de instruir o Product Owner com relação às suas atribuições. Na verdade, ele guia o PO durante todo o projeto. Da mesma forma, deve guiar o Time de Desenvolvimento para que nasça o espírito de equipe. Durante o desenvolvimento do projeto, cabe ao SM eliminar qualquer time de impedimento que atrapalhe o progresso do time, buscando auxiliar o time a aprimorar sua produtividade.

Mike Cohn escreveu certa vez sobre os seis atributos de um bom Scrum Master:

  1. Responsável pela adoção das práticas do Scrum e não pelo sucesso do projeto;
  2. Humilde a ponto de colocar os interesses do time acima de seus próprios;
  3. Colaborativo, pois ajuda a criar o ambiente de colaboração entre os membros do time;
  4. Comprometido com o objetivo do projeto e com a resolução de impedimentos que impeçam o time de alcançar seus objetivos;
  5. Influente, tanto dentro quanto fora do time, para exercer suas atribuições para construir o time e para eliminar impedimentos;
  6. Entendido nos conhecimentos necessários para que o time alcance seus objetivos.

Conhecimentos em técnicas de facilitação e de Team Growing são diferenciais de qualquer Scrum Master.

Time de Desenvolvimento, os jogadores

O Time de Desenvolvimento é composto por aqueles que criam os incrementos no produto. O Scrum não define títulos, então, todos os seus membros são essencialmente desenvolvedores, independente da sua função dentro da estrutura. É isso que se quer dizer com o conceito de time multidisciplinar: todos os membros podem desempenhar qualquer função que seja necessária para o projeto. Entretanto, é comum observar por aí times que possuem membros com funções específicas.

O tamanho do time varia de acordo com o projeto, sendo que algumas pessoas defendem a ideia de que o ideal é que o time tenha de 5 a 9 membros. Particularmente, acredito que o time deve ser pequeno o suficiente para se manter ágil e grande o bastante para que consiga entregar o valor esperado ao produto. É uma interpretação um tanto subjetiva, mas dá mais liberdade para a organização do time.

Outra característica interessante é que o time é auto organizável, ou seja, quem decide quem faz o que, quais as funções de cada membro e o que cabe ou não na Sprint é o time! Isto é fundamental para que se crie o ambiente colaborativo dentro do time. Vendo sentido e participando ativamente das decisões, os membros da equipe tornam-se muito mais motivados a se comprometerem com os resultados esperados.

Por hoje é só! Continuem ligados no Caderno Ágil e confira mais conceitos básicos das metodologias ágeis! Até a próxima!

Anúncios

Marcelo L. Barros

Olá! Sou um cara criativo, curioso e detalhista, que, cada dia, mais se vê interessado em desvendar os mistérios desse "bicho gente"! Comecei minha carreira profissional em 1996, sou formado em Processamento de Dados pela FATEC de Santos. Naquela época tudo o que eu queria ter na minha frente era um computador e uma desafiadora regra de negócio, que se transformaria no melhor programa possível. Mas as coisas mudam! Concluí que quem faz software com qualidade são as pessoas e não as máquinas. Hoje, minha MISSÃO é ajudar pessoas e times a alcançarem seus objetivos, pois acredito que o sucesso pessoal e profissional está ligado a três pilares: FELICIDADE, MOTIVAÇÃO e SENTIDO. Como faço isso? 💡 MOTIVANDO pessoas, fazendo-as enxergar o 💡 SENTIDO das suas ações, que traz 💡 FELICIDADE por fazerem a diferença em suas vidas, suas empresas. Sou formado em Coaching pelo ICC e escrevo artigos sobre Métodos Ágeis, Comportamento, Inovação e Coaching. Vejo no lúdico a forma mais profunda de aprendizado. Procuro sempre conduzir reuniões de forma criativa, que tragam algum tipo de aprendizado aos participantes, seja por meio de dinâmicas de grupo ou jogos em equipe. Neste quesito, desenvolvi um jogo, a "Feijoada Ágil", para ensinar conceitos sobre trabalho em equipe. Se você, como eu, também acredita que eu posso te ajudar, deixe-me saber! Vamos tomar um café e, quem sabe, juntos podemos MUDAR O MUNDO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s