Os 5 “S” do Kaizen

KaizenE Cody disse:

_ Ok, muito interessante saber que existem pessoas que pensam como eu! Mas… como?!? Como criar este senso coletivo de responsabilidade do time? Como fazer com que o administrador do sistema veja o sistema como um todo, de forma que ele seja otimizado? Como colocar isto em prática?

São muitas perguntas, Cody! E o Kaizen responde tais questões de maneira simples. Na verdade, a maioria das questões são respondidas através da mudança de comportamento de todos os envolvidos, do mais alto ao mais baixo escalão.

Um time é um grupo de pessoas focadas em um objetivo comum, onde cada um dos membros, individualmente, devem ajustar suas ações, hábitos e preferências profissionais para alcançar o objetivo do grupo. A efetividade de um time está diretamente ligada à habilidade do grupo em fazer o melhor uso das capacidades individuais de seus membros.

Um grupo de pessoas não se torna um time da noite para o dia. Este é um trabalho diário, que deve ser feito. Mas o comprometimento maior com esta mudança deve partir da alta gerência, pois estes concederão o ambiente propício para que as mudanças sejam implementadas com sucesso.

_ E como os japoneses conseguiram criar este ambiente?

Os administradores devem assegurar que, durante o período de trabalho, os colaboradores devem viver da forma mais equilibrada e satisfatória possível. Desta forma aumenta-se produtividade e qualidade. Para isso, os administradores devem assegurar que alguns itens sejam atendidos:

– Estabilidade financeira e emocional

– Clima organizacional agradável

– Ambiente simples, funcional e agradável

_ Eu não entendo como um administrador pode “assegurar” qualquer um destes itens…

“Como” fazer isto é uma questão muito particular do ambiente em que estão sendo implementadas as mudanças. Não adianta muito, por exemplo, uma empresa construir uma creche para os filhos dos colaboradores, se a maioria destes é homem e, pior, solteiro! Muitas empresas japonesas ainda hoje procuram manter o empregado vitalício, como forma de manter a estabilidade das pessoas.

Ações como estas podem fazer sentido em alguns ambientes; e podem não fazer sentido algum em outros. A solução deve ser personalizada, levando em conta o que realmente o time precisa para que o período de trabalho seja um período de foco no objetivo da empresa. Ou do bando.

_ Entendi! É preciso criar um ambiente harmonioso! Mas isso não significa dizer “sim” pra tudo?

Pelo contrário, Cody! “Wa”, “harmonia”, considera indispensável o “não”. É indispensável ter o debate de ideias contrárias para que seja encontrado um consenso e todos tenham consciência de que tomaram a melhor decisão. Se algo der errado, é por que algo não se harmonizou. Então, o ciclo de debates se inicia mais uma vez, promovendo o tal processo de melhoria contínua.

_ No bando temos estabilidade… Mas e como proporcionar este ambiente agradável?

É aí que entram os 5 “S” do Kaizen, que nada mais são que as palavras japonesas Seiton, Seiri, Seiso, Seiketsu e Shitsuke, intimamente ligadas à harmonia:

– SEITON é providenciar a arrumação e deixar tudo em ordem

– SEIRI é evitar o desnecessário

– SEISO é manter tudo sempre limpo

– SEIKETSU é manter a higiene

– SHITSUKE é manter disciplina

Aqui, disciplina não é só “aprender e seguir os princípios anteriores como hábitos salutares e invioláveis, como também se educar com caráter reto, firme e honrado, para vencer na vida.”

Baseados em muita disciplina conseguimos criar o ambiente ideal que pode proporcionar o aumento da produtividade e da qualidade. Grandes empresas já aplicaram com sucesso tais princípios. Certamente o bando do Cody conseguirá implementá-los, desde que haja o comprometimento necessário.

_ É uma mentalidade um tanto… “enxuta”, não? O que a gente complica tanto parece tão simples…

Bingo, Cody! Mas este é outro assunto…

Anúncios

Marcelo L. Barros

Olá! Sou um cara criativo, curioso e detalhista, que, cada dia, mais se vê interessado em desvendar os mistérios desse "bicho gente"! Comecei minha carreira profissional em 1996, sou formado em Processamento de Dados pela FATEC de Santos. Naquela época tudo o que eu queria ter na minha frente era um computador e uma desafiadora regra de negócio, que se transformaria no melhor programa possível. Mas as coisas mudam! Concluí que quem faz software com qualidade são as pessoas e não as máquinas. Hoje, minha MISSÃO é ajudar pessoas e times a alcançarem seus objetivos, pois acredito que o sucesso pessoal e profissional está ligado a três pilares: FELICIDADE, MOTIVAÇÃO e SENTIDO. Como faço isso? 💡 MOTIVANDO pessoas, fazendo-as enxergar o 💡 SENTIDO das suas ações, que traz 💡 FELICIDADE por fazerem a diferença em suas vidas, suas empresas. Sou formado em Coaching pelo ICC e escrevo artigos sobre Métodos Ágeis, Comportamento, Inovação e Coaching. Vejo no lúdico a forma mais profunda de aprendizado. Procuro sempre conduzir reuniões de forma criativa, que tragam algum tipo de aprendizado aos participantes, seja por meio de dinâmicas de grupo ou jogos em equipe. Neste quesito, desenvolvi um jogo, a "Feijoada Ágil", para ensinar conceitos sobre trabalho em equipe. Se você, como eu, também acredita que eu posso te ajudar, deixe-me saber! Vamos tomar um café e, quem sabe, juntos podemos MUDAR O MUNDO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s